UM AGRADECIMENTO ATRASADO

BraCampeao

Em alguns dias (22/12/2014) vai fazer um ano que o Brasil conquistou o campeonato mundial de handebol feminino. Quando o Brasil foi campeão eu já mantinha aqui esse blog, mas nunca escrevi nada sobre essa enorme conquista. Tudo bem, eu não publico muito por aqui, mas desde a conquista do mundial já escrevi sobre diversos assuntos – inclusive campeonato mundial feminino… juvenil! – mas nada sobre aquele feito tanto histórico quanto heroico que aconteceu na Sérvia poucos dias antes do Natal de 2013.

Tentando entender a razão de não ter escrito nada até agora, pensei que pode ter sido devido à enxurrada de textos que se seguiu à conquista, muitos deles propagando alguns mitos na tentativa de “explicar” como aquelas adoráveis 16 moças chegaram a ser campeãs do mundo empunhando a nossa bandeira. Então, eu não iria chover no molhado relatando o que todo mundo já sabia ou tentando dar mais uma ridícula “explicação” do acontecido, ainda mais para não ser lido por ninguém.

Mas essa hipótese não me convenceu muito, porque mesmo sem ninguém ler eu continuo escrevendo por aqui (e agora no twitter…), inclusive dando “explicações” pra um monte de coisas, “explicações” talvez tão ridículas quanto aquelas que encontrei nos textos pós-mundial. Não sou profissional nisso, e não escrevo porque imagino que alguém irá ler, mas porque o assunto é relevante para mim, e é difícil imaginar no mundo do handebol algo mais relevante do que o Brasil ser campeão mundial. Então por que raios não escrevi nada a esse respeito?

A verdade é que não escrevi porque ainda custo a acreditar no que aconteceu, está tudo ainda em uma zona mista entre sonho e fato que dificulta pensar a respeito. Vivo fuçando no site da IHF, vendo estatísticas de mundiais, procurando confirmar ou refutar impressões pessoais através dos números, mas desse mundial ainda não vi nada. Não sei, parece que não vai ter nada lá a esse respeito, ou vai estar escrito “1st Place – Norway”.

E se para nós torcedores isso foi algo tão grande, próximo de um delírio, fico imaginando o que sentem as próprias jogadoras, que são seres humanos como nós, ainda que nos custe acreditar. Como elas conseguem suportar essa sensação arrebatadora de serem campeãs do mundo, e ainda mais da maneira tão especial como tudo aconteceu? Se para nós a sensação é de “não, para, acabou o handebol…parem com tudo porque não pode acontecer nada melhor do que isso”, imaginem para elas! Mas surpreendentemente elas estão lá, treinando, suando, se contundindo, se recuperando, sonhando com Rio16. É, realmente custa acreditar que elas são seres humanos como nós…

Mas elas são, e, portanto, merecem e precisam de nossas demonstrações de carinho e de agradecimento por tudo de bom que nos fizeram sentir com essa conquista. Então, mesmo que quaisquer palavras não sejam capazes de refletir a grandeza do que elas conquistaram, estou aqui para reverenciá-las e agradecê-las. Não vou tentar descrever nada do que aconteceu naquele campeonato, nem os detalhes que tornaram essa conquista ainda mais especial. Também não vou tentar qualquer “explicação” ridícula, ainda que uma das razões para se ter um blog seja poder dar suas próprias “explicações” das coisas. Nesse texto não vou fazer nada disso. Só vou agradecer.

Obrigado, meninas!