COMO É A LIGA SUECA MASCULINA?

A Champions League masculina 2015/16 começou (16/09) com uma vitória tranquila em casa do Kristianstad (SWE) sobre o Kobenhavn (DEN): 33 x 26. Bom público, com pouco mais de 4300 presentes.

Como já havia observado o craque sueco Kim Andersson em um hang out promovido pela EHF no Twitter, o Kristianstad não iria ser “um passeio” para nenhum time do grupo A. Mas mesmo assim, apesar de não ser surpreendente, esse resultado chama a atenção para a Liga Sueca masculina (Elitserien Herr).

O handebol masculino é o quarto esporte em média de público na Suécia, atrás do futebol, do hóquei no gelo e das corridas de moto. Mas a Eliteserien não é a quarta liga em média de público, porque há na Suécia duas ligas de futebol e duas ligas de hóquei, todas elas com média melhor que o handebol masculino. Então, depois dessas quatro e da liga de corrida de motos vem o handebol masculino, em sexto lugar.

Com uma média de público que ronda os 1500 espectadores (a média do Kristianstad é de 4900 presentes, ou seja, lotação em todos os jogos!), a liga é disputada na temporada 2015/16 por 14 equipes: Alingsas HK, Drott Halmstad, Eskilstuna Guif, Hamarby, HIF Karlskrona, HK Aranäs, HK Malmö, IFK Kristianstad, IFK Skövde, IK Sävehof, HF Lugi, Redbergslids IK, Ricoh HK e Ystads IF.

Se bem os grandes destaques do handebol masculino sueco acabam sendo atraídos para ligas mais ricas (como Andreas Nilsson – Veszprem, Niclas Ekberg – Kiel, Kim Ekhdal Du Rietz – RN Löwen, Johan Jakobsson – Flensburg, e muitos outros), há ainda muitos jogadores importantes da Suécia atuando em sua liga. O próprio Kim Andersson está de volta ao handebol sueco nesta temporada, onde irá jogar pelo Ystad IF. Jonas Kallman também esteve de volta por uma temporada à liga sueca depois do fim repentino do Atlético de Madrid.

A liga sueca é também bastante equilibrada, basta ver que nas últimas quatro temporadas tivemos quatro campeões diferentes: IK Savehof, Drott Halmstad, Alingsas HK e IFK Kristianstad. Os jogos são todos transmitidos pelo canal TV4.

Além disso, a Suécia é reconhecidamente um celeiro de jovens talentos, e muitos deles continuam por lá. O central Jesper Konradsson e o lateral direito Pontus Zetterman, destaques no mundial júnior do Brasil 2015, por exemplo, ainda jogam por lá. Zetterman, aliás, foi o artilheiro da liga na temporada passada.

Outro sinal da força dos jovens jogadores suecos em sua liga está no fato de que Lukas Nilsson, lateral esquerdo que fará companhia a Kim Andersson no Ystad IF, sendo ainda apenas juvenil foi eleito o MVP da liga na temporada passada! Nilsson também disputou o mundial júnior do Brasil.

Porto seguro para craques consagrados ou plataforma para jovens craques, a Elitserien é mais uma das organizadas e interessantes ligas nacionais européias, e hoje o Kristianstad lembrou o Kobenhavn e a todos nós de sua força e tradição!