BRA X JPN: A ESTREIA EM NÚMEROS

O Brasil estreou no Mundial Jr com uma vitória suada ante o Japão, 31 x 30. Consideramos aqui os pontos negativos e positivos da estréia.

Pontos negativos:

Nossa defesa realmente não funcionou bem. A impressão durante o jogo foi de que os goleiros também não haviam ido bem, mas olhando as estatísticas dá para dizer que isso não é verdade: Gabriel Souza teve 30,02 % de aproveitamento e Rangel da Rosa teve 32,4%, índices bastante aceitáveis em nível internacional. Não foram chaves para a vitória, mas também não comprometeram.

 

Pontos positivos:

O Brasil distribuiu muito bem as jogadas no ataque: foram 12 tiros de longe (6/12, 50 %), 17 na linha dos 6 metros (10/17, 59%), 10 nas pontas (6/10, 60%), 7 em penetração na defesa (7/7, 100%). Se isso se mostrar um padrão de jogo, é uma grande evolução em relação tanto ao Mundial Jr como ao Juvenil de 2013, ocasiões em que o jogo do Brasil era baseado apenas nos chutes de fora. O aproveitamento no ataque também não foi ruim, foi regular, talvez apenas o das pontas tenha sido abaixo do regular.

Outro ponto positivo foram as assistências: 16 no jogo de estreia, um número muito bom. Para se ter uma ideia, no Mundial Júnior de 2013 o Brasil fez 40 assistências durante todo o campeonato (9 jogos, 4,44 assistências por jogo), e no Juvenil de 2013 foram 49 assistências no total (9 jogos, 5,44 assistências por jogo).

Algo também notável foi que o Brasil não realizou nenhum contra-ataque no jogo. Mas realmente não sei dizer se isso é negativo ou se fazia parte da estratégia de jogo.

 

Olhando friamente, parece que o problema foi que a defesa não funcionou muito bem. De resto, boa estréia do Brasil.